setembro 10 2009

Das Legiões ao Calvário – Tanya Oliveira

Das Legiões ao Calvário

O livro consiste num relato de Tarquinius sobre sua existência como Vinicius Priscus.

Integrante de uma família de militares, Priscus fora um centurião dedicado a Roma, sua pátria amada, cidade dos Césares, no século I da era Cristã.

Arrogante e ambicioso, acreditava na existência de diversos deuses e curvava-se aos pés de seu imperador.

Levado pela ganância e desejo de poder, almejava conseguir apoio de amigos e do Império para ter carta branca e, assim iniciar sua perseguição contra os cristãos, povo ao qual considerava indigno diante dos romanos, bem como “atrevidos” por não curvarem-se diante dos seus deuses e por seguirem as palavras do Messias Nazareno.

Assim, Priscus buscou de todas as formas aliados a sua empreitada e entre acordos e surpresas do destino viu-se denunciado como traidor, dando início ao caminho de provações e humilhações que teria de enfrentar dali por diante.

Perseguido, preso e posteriormente vendido como escravo, o grande centurião do Império Romano passou de “perseguidor” a “perseguido”.

Recebera o chamado do “Criador”, mas recusara-se a aceitá-lo. Em meio ao sofrimento e a dor acabou por reder-se aos ensinamentos e leis do Nazareno, compreendendo que aquilo se planta é o que se colhe.

É impressionante como as coisas apresentam-se diante de nós. Antes de começar a ler este livro havia selecionado um outro. Cheguei a ler algumas páginas, contudo sem muito interesse no assunto deixei-o de lado.

Acontece que quando comecei a ler “Das Legiões ao Calvário”, notei a semelhança com o livro anterior que havia ignorado e algo fez-se pensar que não havia selecionado outro livro com teor parecido por acaso.

Assim dediquei-me a leitura e aos ensinamentos contidos entre aquelas linhas. Diante de imensa paz interior, entreguei-me com humildade e sem preconceitos ao belo romance e derramei lágrimas de sincero agradecimento pela chance que me foi dada.

(Roberta Dias)

setembro 5 2009

A Dama Azul – Javier Sierra

A Dama Azul

O livro foi escrito com base em pesquisas e relata a história da irmã Maria de Jesus de Ágrada e do seu dom de bilocação. Também fala sobre o real projeto da "cronovisão", realizado por militares e religiosos do vaticano.

A cronovisão "tratava-se" de experimentos para "ver" e "fotografar" o passado.

O fenômeno da bilocação fazia com que a irmã Maria de Jesus de Ágrada entrasse em uma espécie de transe, de forma que seu corpo físico permanecia no convento, situado na Espanha e aparecia ao mesmo tempo no Novo México para pregar aos índios sobre a chegada de um Deus único.

De acordo com a lenda, graças a essas "aparições" os próprios índios dirigiam-se aos religiosos pacificamente, possibilitando assim a conversão em grande escala de tribos indígenas do Novo México, no período de 1629.

Segundo o autor, os personagens históricos mais importantes dessa obra são: Maria de Jesus de Ágrada, Carlos Albert, Giuseppe Baldi, Frei Alonso de Benavides, Felipe IV - Rei da Espanha, Francisco Manso y Züñiga, Sebastián Margila, Robert Monroe, Frei Esteban de Perea, Frei Francisco de Porras, Frei Juan de Salas, Frei Andrés de la Torre e por fim o "Memorial de Benavides".

Os protagonistas citados existiram de fato, bem como o Memorial de Benavides, portanto vale a pena saber um pouco mais a respeito.

É preciso ter muita atenção na hora da leitura e boa memória, uma vez que a trajetória dos personagens vai sendo contada de forma quebrada, ou seja, às vezes passa um, dois ou mais capítulos para ter continuidade.

Sugiro aos que esquecem com facilidade adotar algum método para lembrar dos fatos importantes lidos anteriormente.

Muito interessante!!!

(Roberta Dias)

agosto 22 2009

Onde está Teresa? – Zibia Gasparetto

Onde está Teresa?

O livro gira em torno de um duplo assassinato ocorrido em São Paulo.

Otávio fora encontrado desnudo sobre uma cama ao lado de uma mulher cerca de vinte anos mais velha do que ele, ambos brutalmente assassinados a facadas.

Marília, esposa de Otávio, embora já soubesse do ocorrido, recebeu a triste notícia pelos policiais que foram a sua casa como se não tivesse ciência de nada.

Levada à delegacia, Marília fez o reconhecimento do corpo, prestou depoimento e foi liberada, sentindo-se aliviada pela morte do marido, uma vez que o mesmo sempre fora insensível e violento.

Alberto, importante empresário no ramo da construção civil, no Rio de Janeiro, também fora chamado pelo delegado para fazer o reconhecimento do corpo, já que o documento encontrado na cena do crime era de sua esposa.

Muito abalado e nervoso, Alberto olhou o corpo da mulher e reconheceu como sendo de sua esposa. O reconhecimento de Osmar, filho mais velho do casal também foi positivo, todavia Vitório, filho mais novo e Dinda, amiga de infância de Teresa afirmaram que a mulher morta embora fosse muito parecida, não era ela, já que não carregava nas costas, na altura da cintura nenhuma marca de nascença, tampouco possuía a marca da aliança que nunca tirava do dedo. Mas se aquela mulher no necrotério não era Teresa, então onde estaria ela?

Teresa não tinha nenhuma irmã e nenhuma parenta parecida com ela, deixou todos pensarem que viajaria para a Europa, mas não embarcou no avião.

O caso estava cada vez mais misterioso e complicado. Diante do impasse no reconhecimento do corpo, o delegado Monteiro, encarregado do caso considerou mais prudente continuar investigando, apesar da insistência de Osmar em dar o caso como encerrado.

Monteiro já sentia-se desanimado com a falta de pistas quando finalmente as coisas começaram a mudar.

O livro fala sobre amizade, amor, ódio, inveja, traição, orgulho, desejo pelo poder, comportamento, o mundo do tráfico de drogas e as conseqüências de todos esses fatores.

Ele prende a atenção em torno do mistério e planta a curiosidade de saber como tudo aquilo termina. Mostra que os desafios surgem para nos ensinar o que devemos aprender e que essa é a forma que a vida conversa com a gente. Que as coisas verdadeiras são simples e que nossa mente indisciplinada é que complica e bagunça tudo.

Fiquei bastante feliz ao ler este livro e o trecho que mais tocou meu coração foi o seguinte:

“Não existe morte, só existe vida. Só vida, sempre vida!”.

(Roberta Dias)

julho 31 2009

Alerta – Divaldo Franco

Alerta

O livro fala sobre o estado de emergência que se vive na Terra devido à violência urbana, agressividade mental, moral e física, a volúpia dos prazeres exagerados, insatisfação, sentidos desgovernados, ambições desmedidas pelo poder, suicídio, aborto, fome e indiferença afetiva.

Este livro nos faz rever os conceitos, nos mostra a importância da meditação, dos pensamentos otimistas, de não assumir posições radicais diante das circunstâncias da vida, nem das pessoas e da programação de novos comportamentos.

Segundo Joanna de Ângelis, o amor próprio é mau conselheiro e a causa para diversos problemas que afligem as criaturas encarcera-se na vaidade, disfarça-se com desculpismos vis e acusações absurdas, causando animosidade e desânimo.

O amor próprio pode ser caracterizado como: vingativo, insensível, leviano, magoado, despeitado, exigente, caprichoso, insensato e ardiloso porque se oculta e disfarça para reaparecer sob outras formas.

Ele só realiza uma obra meritória quando as coisas acontecem da forma como deseja.

Esse tipo de "sentimento" adora autopromover-se, ser aplaudido, que aquiesçam suas vontades, mas cobra juros altos e está sempre armado contra tudo e todos que não satisfaçam seus caprichos.

Todos os temas deste livro são ótimos. Ao todo são 60 temas e garanto que algum deles vai parecer ter sido escrito sob medida para você que ainda não leu.

(Roberta Dias)