maio 27 2018

Frutos

O mundo em suas elevadas características de inteligência, reclama frutos para examinar as sementes dos princípios.

Em razão disso, necessita o homem aprender com a boa árvore e converter seu aprendizado em utilidades para si próprio e para as demais criaturas, já que viver significa trabalhar e ser útil, por isso convém um esforço para uma autoanálise a fim de identificar as qualidades de suas próprias ações.

Algumas palavras e ações apenas nos remetem a árvore condenada e podre, então devemos conhecer bem os frutos de nossa vida e avaliar se beneficiam a nós mesmos e as demais pessoas ou se apenas prejudicam.

Indiscutivelmente, a atualidade reclama ensinos com valores edificantes dentro dos lares, das escolas, nos templos religiosos, ou mesmo em rodinhas de amigos, para que o homem consiga realizar a mais difícil das tarefas, que é a de viver e morrer fiel ao supremo bem e para isso a vida está aí e representa vasta oportunidade de escolhas para o bem, logo só escolhe o mal quem quer.

Adaptado por Roberta Dias – Livro Caminho e vida – Pelo Espírito Emmanuel

Ver:
– “Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. – Jesus (Mateus, 7:20)”

setembro 5 2009

A Dama Azul – Javier Sierra

A Dama Azul

O livro foi escrito com base em pesquisas e relata a história da irmã Maria de Jesus de Ágrada e do seu dom de bilocação. Também fala sobre o real projeto da “cronovisão”, realizado por militares e religiosos do vaticano.

A cronovisão “tratava-se” de experimentos para “ver” e “fotografar” o passado.

O fenômeno da bilocação fazia com que a irmã Maria de Jesus de Ágrada entrasse em uma espécie de transe, de forma que seu corpo físico permanecia no convento, situado na Espanha e aparecia ao mesmo tempo no Novo México para pregar aos índios sobre a chegada de um Deus único.

De acordo com a lenda, graças a essas “aparições” os próprios índios dirigiam-se aos religiosos pacificamente, possibilitando assim a conversão em grande escala de tribos indígenas do Novo México, no período de 1629.

Segundo o autor, os personagens históricos mais importantes dessa obra são: Maria de Jesus de Ágrada, Carlos Albert, Giuseppe Baldi, Frei Alonso de Benavides, Felipe IV – Rei da Espanha, Francisco Manso y Züñiga, Sebastián Margila, Robert Monroe, Frei Esteban de Perea, Frei Francisco de Porras, Frei Juan de Salas, Frei Andrés de la Torre e por fim o “Memorial de Benavides”.

Os protagonistas citados existiram de fato, bem como o Memorial de Benavides, portanto vale a pena saber um pouco mais a respeito.

É preciso ter muita atenção na hora da leitura e boa memória, uma vez que a trajetória dos personagens vai sendo contada de forma quebrada, ou seja, às vezes passa um, dois ou mais capítulos para ter continuidade.

Sugiro aos que esquecem com facilidade adotar algum método para lembrar dos fatos importantes lidos anteriormente.

Muito interessante!!!

(Roberta Dias)