abril 22 2018

Entre a Terra e o Céu – Pelo Espírito André Luiz – Francisco Cândido Xavier

Entre a Terra e o Céu

Entre a Terra e o Céu é um livro cativante que narra um romance cujo os personagens se encontram, se afastam e se reencontram para o ajuste de contas, perdão, amor e progresso moral de cada um de acordo com as Leis e misericórdia divina.

Em torno da prece todo desejo é manancial de poder. Senhores das próprias criações e escravos delas, o espírito pede, obtém e paga por todas as aquisições.

No cenário terrestre a conduta de um indivíduo pode gerar circunstâncias em seu benefício ou desfavor, atenuar ou agravar suas faltas, pois a forma do pensamento é o que dá feição ao destino. Toda e qualquer obsessão penetra, tortura, causa inquietação e desequilíbrio a mente e ao espírito e, nas sendas de provas, cada um é responsável pelas ideias que nasçam de si.

Aquele que fica parado em lembranças desagradáveis, que não perdoa ao próximo e nem a si mesmo, afasta todos a sua volta derramando o amargor das queixas e censuras de uma permanente irritação rumo a eterna solidão.

Devedores um dos outros, laços mil unem corações e o amor é a forma divina que alimenta, enquanto o trabalho para o bem é o maior patrimônio de um filho da eternidade, que no esquecimento temporário recebe no coração o adversário de ontem para o reajuste e regeneração, já que em todos os lugares e tempos se vive as consequências dos próprios atos. Não vale fugir as responsabilidades. O tempo é inflexível e o trabalho que nos compete não será transferido a ninguém.

A cultura intelectual não é a base para a felicidade, mas ela auxilia no engrandecimento da alma, pois quem não sabe ler não sabe ver como se deve, portanto, não basta ter o instinto, o conhecimento proporciona maior responsabilidade e renovação.

O orgulho, a vaidade, a tirania, o egoísmo, a preguiça e a crueldade são vícios da mente que muito podem ferir, mas um dia há de se descobrir que a cura para todos esses males reside no próprio homem.

(Roberta Dias)

junho 1 2010

Íntimo e Perigoso – Linda Howard

De assistente a viúva de James Wingate…

Bailey aceitou casar-se com James, dono do Grupo Wingate, sabendo exatamente como eram seus filhos e o que teria de enfrentar. Ao falecer, seu marido deixou-a como responsável por todo o seu patrimônio, cabendo aos filhos apenas uma razoável mesada, cujo pagamento seria autorizado mensalmente por ela, o que revoltou em demasia seus enteados.

O Grupo Wingate contava com os serviços prestados pela J&L Transporte Aéreo Executivo, uma empresa administrada pelos amigos, sócios e pilotos Cameron Justice, o sensual texano e Bret Laser.

Bailey normalmente voava com Bret e não gostava muito de Cam por considerá-lo antipático. Ele por sua vez, a considerava uma megera fria.

Ao decidir sair de férias, Bailey solicitou os serviços da J&L. Bret a levaria de Seattle até Denver, mas devido a um problema repentino de saúde, Cam foi em seu lugar.

Tudo parecia correr bem. De repente o motor da aeronave parou e Cam precisou usar toda a sua calma e conhecimento técnico para tentar descer e diminuir a velocidade com o atrito das árvores, suavizando assim a inevitável queda.

Bailey estava apavorada mas permaneceu em silêncio. Durante a queda sentiu como se seu corpo tivesse levado um tranco, se viu atordoada, com dores na cabeça e por todo o corpo. Demorou um pouco até que ela se desse conta da situação. Ao procurar por Cam o encontrou gravemente ferido na cabeça e desacordado. Com muito esforço e sofrendo com os sintomas do mal da montanha conseguiu tirá-lo do que restou do avião entre as árvores e apesar do medo teve forças para cuidar dos ferimentos dele e buscou formas de sobreviverem ao frio e ao vento ao menos naquela primeira noite.

Enquanto isso seus enteados Seth e Tamzin comemoravam. Ele procurou saber na empresa quando poderia tomar posse de sua fortuna e ao descobrir que o processo seria demorado, fez todo o possível para conter sua fúria e frustração.

Durante seis longos dias Cam e Bailey permaneceram naquela montanha fria e coberta pela neve de Idaho . Eles descobriram que o avião fora sabotado e que faziam uma idéia muito errada um do outro. Barreiras invisíveis foram quebradas e daqueles dias difíceis nasceu o amor.

Após serem resgatados, Cam descreveu o ocorrido ao funcionário do Órgão de Segurança de Transporte Nacional, contou sobre o saco plástico encontrado no tanque de combustível, da sabotagem e de quem suspeitava, mas no momento em que MaGuire disse que o transponder e o rádio também deixaram de funcionar, Cam finalmente descobriu o verdadeiro culpado…

Está aí um livro bacana! Gostei da pesquisa realizada pela autora sobre as aeronaves, suas quedas, termos técnicos e adorei a forma carinhosa e grata que se referiu aos pilotos que lhe ajudaram.