junho 17 2010

Nada é como parece – Marcelo Cezar

É um livro que nos conduz a reflexão e nos ajuda a esclarecer a consciência.

Ensina que todos temos o direito de pensar e idealizar as pessoas como quisermos, afinal possuímos a mente, e com ela o dom de criar situações, como também de enxergar os outros de acordo com nosso senso de realidade.

Senso este que muitas vezes mais atrapalha do que ajuda, simplesmente porque nos cega. Já é hora de entender que devemos olhar e aceitar as pessoas como elas são, e não como gostaríamos que elas fossem.

É comum olhar para o outro, apontar defeitos, fraquezas e fazer julgamentos, mas esquecemos que enquanto um dedo aponta, os outros dedos estão voltados para nós mesmos, e sempre que julgamos, somos julgados na mesma medida e peso.

Embora seja difícil de acreditar, ainda existem pessoas boas e generosas espalhadas pelo mundo, basta ter olhos para ver. A vida é mágica!

Não existem probabilidades, a vida nos envia sinais para melhorarmos sempre, por pior que possa parecer a situação. Aprender a viver melhor é tarefa intransferível, porque ninguém é fraco, apenas não sabe usar a própria força e quando estamos destinados a nos cruzar no mundo, não há tempo e nem fronteiras.

julho 2 2009

Sonhos…

Sonhos - Devaneio de Roberta Dias

Invadem minhas noites de sono sem pedir licença. Intrusos dos quais não tenho controle, causam sensações diversas e que ao acordar recordo ou não.

Quase sempre fora da realidade, mas “tão reais”, meus sonhos acontecem em lugares que conheço, mas que nunca estive antes, com pessoas estranhas ou conhecidas, que aparecem e desaparecem como num passe de mágica, assim também é a troca de cenários.

Todas às vezes que o sonho é bom e que acordo, tento dormir novamente para tentar continuar de onde parei, mas é impressionante como o que é bom dura pouco mesmo, até nos sonhos!

Já os pesadelos, ah, esses transformam breves segundos de sono em longas horas de martírio e desespero.

A dor, apesar de ser um sonho, é muito real e sinto no corpo as conseqüências. Mesmo depois de acordada fico com medo. Nos minutos seguintes sinto receio de fechar os olhos e dar continuidade ao sofrimento.Sonhos, talvez sejam flashs de tudo o que vi e vivi, de tudo aquilo que desejo ou não para mim, dos meus medos, não sei ao certo, também podem não ser nada disso.

(Roberta Dias)