julho 14 2016

Terra de Aprendiz

Fala-se em amor, paz, luz,
Amizade, caridade, salvação,
Toda glória, toda dor,
De uma vida passageira (eterna),

Numa Terra de expiações,
Escola Universal,
De irmãos de todas as partes,
Unidos em sintonias mil,

Agarrando-se à esperança,
Para suplantar os medos,
E seguir a diante,

Sem voltar a um estado anterior,
Do que foi conquistado, aprendido,
Ao que chamam Evolução.

(Roberta Dias)

dezembro 28 2012

Saudades Mãe…

Como dizer?
Como explicar?
Que sinto sua falta,
E que imensa é minha dor,

Que sozinha não posso aguentar,
Estou parada num único lugar,
Paralisada, petrificada,
Perdida, solitária,

Em pensamentos só meus,
Com lágrimas derramadas na calada da noite,
Soluços abafados pelo travesseiro,

Oprimindo o peito pelo desejo imenso de correr,
Desaparecer com o nevoeiro na esperança de revê-la,
Após um ano e vinte dias de sua partida.

(Roberta Dias)

dezembro 22 2010

Dia especial

Não sei o que está reservado para mim hoje, mas antes de qualquer coisa agradeço por cada dia de vida e em oração eu te peço Senhor, Deus do Amor, ensina-me a amar mesmo que…

Meus olhos se fechem,
Meus ouvidos se ensurdeçam,
Minha boca silencie,
Meus braços e pernas se cansem,
O mundo me apresente outros valores,
Os meus irmãos me traiam,
A esperança se vá,
Nos momentos sem fé,
Ensina-me a amar.
Eu quero amar Senhor,
Primeiro a Vós e depois aos meus irmãos.
Quero amar a mim mesma, sem egoísmos, mas como templo do Vosso Santo Espírito.
Amém.

(Livro Ágape – Padre Marcelo Rossi)

dezembro 20 2010

Respirando Livremente

Antes do amanhecer,
Tudo andava tão escuro,
Mas assim que os olhos se abriram,
O brilho do sol, lindo e divino,

Inundou o peito de esperança,
Reabasteceu o tanque seco,
Com sorrisos e sentimentos alegres,
Energias boas e leves,

Que gostosura!
Adeus pesadelos,
Adeus noites de insônia,

Que delícia dormir a noite inteira!
Sonhar e não se lembrar de nada ao acordar,
Manter o coração aberto,

Não se pode mudar o que passou,
Mas é possível reescrever um novo final,
Amando cada vez mais sem restrições e sem mágoas…

(Roberta Dias)

agosto 4 2010

O Efeito Sombra – Deepak Chopra, Debbie Ford e Marianne Williamson

O livro fala sobre o conflito entre quem somos e quem queremos ser, uma vez que a dualidade não só existe como faz parte de todos nós.

A vida e a morte, o bem e o mal, a esperança e a resignação, são exemplos dessa dualidade.

Se sabemos o que é ter coragem, é porque já experimentamos o medo, se reconhecemos a honestidade, é porque já encontramos a falsidade e, no entanto, a maioria de nós ignora ou nega a própria natureza dualista.

A idéia de que somos apenas de um jeito ou de outro limita nossas características. Hoje em dia muitos têm acesso à sabedoria, mas não encontra força, nem coragem para agir segundo suas intenções, continua a se expressar de maneira contrária aos próprios valores, a tudo aquilo em que acredita e isso ocorre justamente quando não fazemos um auto-exame de nossa vida, do nosso eu mais escuro e sombrio.

Desde cedo aprendemos a temer o lado escuro da vida, assim como o nosso. Toda vez que pensamos em algo que consideramos feio ou que temos um comportamento que julgamos ser errado, tentamos esconder para que não chegue aos olhos do mundo, fingimos que nada aconteceu porque simplesmente tememos o julgamento alheio e a possível vergonha.

Embora a norma seja ignorar ou reprimir o lado escuro do nosso eu, fugir dele vai apenas intensificar o seu poder, nos causando mais dor, sofrimento, tristeza e submissão, nos impedindo de expressar inteiramente o nosso eu, de falar nossa verdade e de viver uma vida autêntica. Quando aprendemos a extrair a sabedoria oculta e a aceitar todas as nossas versões, reconhecemos integralmente quem somos, nos libertamos de comportamentos que podem nos levar para baixo, impedimos que a escuridão nos controle, que tire nossas decisões conscientes, que nos incite de forma errada, que desperdice nossa energia vital em maus hábitos e comportamentos repetitivos.

O efeito sombra está em toda parte. Ele está nos aspectos da vida, no que lemos online, no que vemos nos noticiários da TV, em nossos amigos, familiares ou mesmo nos estranhos na rua. Talvez possamos reconhecê-lo de forma mais expressiva em nossos próprios pensamentos, comportamentos, e senti-lo nas interações que fazemos com os outros.

Na verdade, o oposto do que teremos é, de fato, o que acontece, em vez de vergonha, sentimos simpatia, em vez de constrangimento, ganhamos coragem, em vez de limitação, experimentamos a liberdade, pois a sombra mantida oculta torna-se uma caixa de Pandora repleta de segredos que tememos destruírem tudo o que amamos e gostamos, mas abrir a caixa significa descobrir que seu conteúdo pode alterar de forma positiva a nossa vida.

A empatia por nós mesmos, pelo poder escondido em nossa verdade permite que sejamos reais, nos dá a centelha de ignição para a partida rumo à plenitude, a paixão e a realização de nossos sonhos.

As idéias apresentadas levam ao autoconhecimento e a muitos questionamentos. Bom livro!