maio 28 2014

Dor familiar

Que dor é esta que adormece,
E momentaneamente suaviza,
Mas retorna a cada lembrança,
De promessas não cumpridas,

Movimentando a água parada,
Tornando-a turva, suja, impura,
Como esgoto armazenado,
Carente de periódica limpeza,

Para não transbordar em ódio,
Ou amargura no coração já mutilado,
Descrente das palavras de seu tutor,

Temporário e passível de erros,
Que a sua maneira fez o melhor que pode,
E apesar do constante sofrimento lhe sou grata.

(Roberta Dias)

dezembro 21 2010

Amigo Imaginário

O vejo todos os dias,
Lendo, escrevendo,
Ouvindo música, desenhando,
Dormindo, acordada,

Nas plantas, nos pássaros,
No céu negro, nos raios de sol,
Nas ondas do mar que vão e vem,
Arrebentando e formando brancas espumas,

Valas que arrastam sem piedade,
Tamanha é à força da correnteza,
Não… Não posso crer no que dizem,

Você não é um fantasma ou uma estátua fria e imóvel,
Há de existir algo em seu peito, martelando e pulsando,
A cada vez que ouve o meu chamado…

(Roberta Dias)

dezembro 20 2010

Respirando Livremente

Antes do amanhecer,
Tudo andava tão escuro,
Mas assim que os olhos se abriram,
O brilho do sol, lindo e divino,

Inundou o peito de esperança,
Reabasteceu o tanque seco,
Com sorrisos e sentimentos alegres,
Energias boas e leves,

Que gostosura!
Adeus pesadelos,
Adeus noites de insônia,

Que delícia dormir a noite inteira!
Sonhar e não se lembrar de nada ao acordar,
Manter o coração aberto,

Não se pode mudar o que passou,
Mas é possível reescrever um novo final,
Amando cada vez mais sem restrições e sem mágoas…

(Roberta Dias)

agosto 13 2010

O amor é para os fortes – Marcelo Cezar

Quem nunca ouviu falar da fulana, que ama cicrano, que ama beltrana, que ama o Zé da esquina, que ama fulana ou que não ama ninguém?

Os “desencontros”, assim como os ”encontros”, fazem parte da vida e do processo evolutivo. Quem, em algum momento da vida, já não deu asas a imaginação, sofreu, chorou, suspirou ou sentiu o corpo arder como se estivesse em chamas só por lembrar, pensar numa determinada pessoa? Quem nunca se apaixonou ou acreditou estar apaixonado por alguém? Quem nunca idealizou como deveria ser o par perfeito?

A idéia de perfeição, quase sempre presente dentro de nós, tanto pode impulsionar rumo ao progresso, como a derrota e ao sentimento de frustração, de infelicidade, porque torna o indivíduo exigente demais consigo mesmo e com os outros.

Quando a pessoa é exigente demais, corre o risco de não conseguir concluir as coisas que faz e de se sentir sempre infeliz, porque simplesmente nunca está satisfeita com nada e nem com ninguém.

O livro fala justamente sobre as ilusões que as pessoas criam e alimentam em suas mentes, em buscas incessantes pela "relação perfeita".

Segundo o autor, não existe relação perfeita. O que existe é a "relação possível", aquela em que a alma decifra os segredos do coração, através das experiências vividas, tornando o amor apenas para os fortes.